6 ‘milagres’ que terminaram terrivelmente mal

Milagres-que-acabaram-muito-mal-1

Carregando...

O pastor que acreditava estar protegido do veneno de cobras e morreu, o religioso que matou o fiel alegando que poderia ressuscitá-lo e outros ‘milagres’ igualmente bizarros. Conheça 6 ‘milagres’ que terminaram terrivelmente mal.

Leia também: 8 curiosidades eróticas que você certamente não sabe

Você acredita em milagres? Apostaria sua vida em um? E de seus familiares? Pois foi exatamente isso que aconteceu nestes seis casos, e o resultado não foi nenhum milagre, mas mortes que poderiam ser evitadas com um  pouco mais de conhecimento e um pouco menos de fé.

1. O pastor que acreditava que podia lidar com animais até que uma cobra o picou e ele morreuMilagres-que-acabaram-muito-mal-1-1

Em fevereiro de 2014 o pastor pentecostal Jamie Coots foi mordido por uma serpente, o resultou em sua morte. Coots interpretada literalmente uma passagem da Bíblia que dá a entender que veneno de cobra e suas mordidas não prejudicariam os crentes, desde que tenham sido ungidos por Deus. No entanto, o veneno de cobra não faz distinção entre cristãos, muçulmanos ou ateus.

Leia também: 26 atrizes de filmes adultos que tem a sua idade

Coots também esperava que a tradição de “encantador de serpentes” da igreja fosse passada para seu filho mais velho, apelidado de Little Cody, e assim foi, mas mais cedo do que o esperado.

Apenas alguns meses após a morte de seu pai, Cody foi mordido por outra cobra em um rito como que fez seu pai, mas desta vez teve mais sorte e se salvou. Cody afirmou que foi salvo graças a sua fé e orações, decepcionando quem esperava que ele tivesse aprendido algo com a morte do pai.

2. Em setembro 2014 Muhammad Sabir foi preso por matar Muhhammad Niaz com o pretexto de que ele poderia ressuscitá-loMilagres-que-acabaram-muito-mal-3

O mestre Sufi tinha ganhado popularidade na cidade de Mubarakabad (Bahawalnagar) porque nos últimos cinco anos foi operador de vários supostos milagres.

O ritual da tragédia consistia em por Niaz em uma mesa quadrada com as mãos e pés amarrados. Após ter feito isso, Sabir cortou a garganta de seu fiel seguidor, enquanto recitava palavras que lhe “dariam o poder de trazê-lo de volta à vida”. Testemunhas disseram que quando Sabir percebeu que seu milagre não traria Niaz de volta à vida, ele tentou fugir. Felizmente ele não foi muito longe e logo foi preso pela polícia indiana e julgado. O corpo de Niaz foi entregue à família para homenagea-lo e enterrá-lo.

3. O casal que deixou dois filhos morrerem por terem fé na cura divinaMilagres-que-acabaram-muito-mal-4

Herbert e Catherine Schaible foram condenados a sete anos de prisão depois que seu filho Brendon de apenas 8 meses morreu.

A história desses “grandes” pais é a seguinte. Herb e Cath eram membros da Igreja do Primeiro Centenário do Evangelho, na Filadélfia. De acordo com suas crenças, as orações são o único meio de salvação possível e quando o seu pequeno filho ficou doente e começou a apresentar sintomas como vômito e diarreia eles só eles oraram. Como suas orações não tiveram efeito, eles pensaram que precisavam somente rezar mais para solucionar tudo.

Leia também: A ciência venceu a Bíblia?

O resultado, obviamente, é que a pobre criança acabou morrendo. E, infelizmente, não foi a única criança que morreu por causa de sua fé, já que o irmão mais velho de Brendon, Kent, morreu de pneumonia em 2009, quando ele tinha apenas 2 anos de idade.

As autoridades norte-americanas os julgaram, condenaram e removeram a custódia dos filhos restantes.

4. O curandeiro e a esposa que foram mortos porque eles não conseguiram realizar o milagre da fertilidadeMilagres-que-acabaram-muito-mal-5

A história deste casal é o seguinte: Manjhi Janaki e sua esposa Laxmi Devi viviam na aldeia de Gaya, perto de Mohanpur (Índia). Acontece que Janaki fez determinados negócios com um parceiro de vila, Sohrai Manjhi.

Este negócio era que, por uma modesta quantia de dinheiro, Janaki realizaria um ritual de fertilidade milagroso para que Sohraii fosse pai. O tempo passou e nada aconteceu, então Sohrai decidiu pedir seu dinheiro de volta para Janaki. Ao se recusar a devolvê-lo, a situação começou a ficar tensa e Janaki apenas bateu com um objeto pontiagudo em Sohrai, causando a morte. Quando sua esposa foi ajudá-lo, esta também foi atingida pelo pai frustrado morrendo da mesma forma.

Sohrai fugiu da aldeia e até hoje nada se sabe de seu paradeiro.

5. O pastor que foi morto durante a execução de um exorcismoMilagres-que-acabaram-muito-mal-6

Em março de 2015, um homem de 38 anos chamado Roland Zinneh viajou para os arredores de Germantown na Filadélfia para falar com Dagadu sobre algumas alucinações. Ao chegar a casa, o sacerdote o levou para o porão onde foi submetido a uma série de rituais para acalmar seu espírito e eliminar essas alucinações. Tudo parecia bem, até que a mulher de Zinneh ouviu sons estranhos vindos do porão.

Ao descer encontrou Dagadu sentado em uma cadeira, imóvel, com a língua de fora. Ela rapidamente correu para encontrar um telefone e ligar para o 911. Quando a polícia chegou à casa, Zinneh estava pulando na porta da casa como uma dança e dizendo que o diabo tinha possuído Dagadu e que teve que matá-lo .

6. A mulher australiana morta por seu marido enquanto era exorcizadaMilagres-que-acabaram-muito-mal-7

O caso de Joan Vollmer é mais um para a lista de mortes destes ritos. A história remonta a 1993, na pequena cidade de Antuérpia, na Austrália. Seu marido Ralph Vollmer estava convencido de que sua esposa estava possuída. Sua reivindicação foi baseada na afirmação de que Joan passou a usar uma linguagem terrivelmente suja, comportava-se como uma prostituta e ocasionalmente emitia sons como porcos e cães.

Primeiramente Ralph contou com a ajuda de dois exorcistas amadores: a mãe de 4 filhos Leanne Reichenbach e o agricultor David Killingner. Os 3 se conheciam a certo tempo e o que os uniu foi seu fervor religioso.

Eles começaram o seu rito especial de exorcismo da Sra Vollmer a amarrando em uma cadeira, porque, segundo eles, ela se jogava ao chão e adotava posições bastante obscenas. Seu marido decidiu juntar suas pernas e amarrá-las, porque, tendo as pernas abertas, o poder do mal parecia aumentar.

Após a realização de vários desmandos infundadas no corpo da Sra Vollmer, eles chamaram o exorcista de 22 anos autodenominado Mateus  Nuske. Este exorcista decidiu queimar algumas posses de Joan porque, segundo ele, o mal habitava neles. A última ideia foi Suske foi apertar violentamente o estômago e o peito de Joan em uma tentativa de mover o demônio de sua barriga à boca para ser expelido.

Após causarem um grande número de lesões na Sra Vollmer, eles lhe causaram asfixia e uma parada cardíaca. E a história não termina aqui, já que o quarteto estava convencido de que tinham expulsado o espírito que possuía e a deixaram lá, em uma cadeira, à espera de sua ressurreição milagrosa.

Claro que ela não voltou à vida e após dois dias o corpo começou a se decompor e emitir um odor fétido.

Os 4 indivíduos foram julgados e condenados a penas de prisão. Mais tarde soube-se que Joan estava sofrendo de problemas psiquiátricos por causa de abuso sexual sofrido na infância, esquizofrenia e traumatizada pelo suicídio de seu primeiro marido.

Carregando...

Recomendados para você:

Comentar